sábado, 22 de março de 2014

sábado, 11 de janeiro de 2014

terça-feira, 19 de novembro de 2013

terça-feira, 16 de julho de 2013

quarta-feira, 1 de maio de 2013

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

domingo, 25 de março de 2012

Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos participou do debate sobre o Projeto de Lei torpedo mais barato para Surdos


Aconteceu em Brasília, no dia 29 de fevereiro, no plenário 07 – Ala Alexandre Costa, no Senado, a discussão sobre o Projeto de Lei PL 238/2008 do Ex-Senador Flávio Arns  “Tarifas mais baixas nos serviços de mensagens de texto para usuários de celulares  surdos  ou deficientes da fala” que deverá ser votado na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado.
Compareceram diversos representantes de instituições para justificar a importância de tarifas baixas para as pessoas surdas, como o Presidente da Comissão Eduardo Braga, o Relator do Senador Paulo Paim, o Presidente do CONADE Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Moisés Bauer, o Secretário Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência Antonio José Ferreira, o Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da Feneis Prof. Neivaldo Augusto Zovico, o Presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e Serviço Móvel e Pessoal Eduardo Levy, o Presidente do Sindicato de Interpretes, Tradutores e Guia-Interpretes do DF Michel Platini e o Superintendente de Serviços Privados da Anatel Bruno Ramos.
A audiência iniciou-se com o Presidente da Comissão Eduardo Braga, pronunciando que o Projeto de Lei deverá ser aprovado conforme a decisão da Comissão que tramitará no Senado e que também incluirá uma emenda na MP 549/2011, que ainda tramita na Câmara, permitindo zerar impostos dos equipamentos e serviços que promovam a acessibilidade para pessoas surdas.
Durante a audiência, vários representantes das instituições de pessoas com deficiência discursaram sobre a importância do Projeto de Lei “Tarifas mais baixos para pessoas surdas ou deficientes da fala”.
O Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da Feneis, Prof. Neivaldo, iniciou seu discurso agradecendo a todos o convite pela sua  participação na audiência pública e também o apoio aos surdos sobre as tarifas mais baixas, que há muito tempo estava guardado na gaveta. Explicou que no Brasil a população surda tem dificuldade em se comunicar por mensagem devido aos altos valores cobrados por esse serviço e que futuramente o SMS mudará por causa da tecnologia evoluída e que o acesso a internet nos celulares  poderá ajudar a melhorar a comunicação dos Surdos através de Videochamada. Alertou ainda que não existem equipamentos para serem usados em casos de emergências pelo surdo como chamar a policia, bombeiro ou resgate e sobre a importância em ter uma Central de Intermediação para a Comunicação do surdo com o ouvinte, onde o surdo transmite a mensagem escrita para a central que passará oralmente ao ouvinte.
Antonio José Ferreira frisou que a ciência e a tecnologia  garantem a equiparação de oportunidades para as pessoas com deficiência.
O telefone celular e a internet eliminam ou diminuem as dificuldades de comunicação enfrentadas por quem tem deficiência auditiva ou de fala. Há anos  um surdo e um cego não se comunicam sem o auxilio de um interprete. ¨Hoje é possível, sou cego e tenho me comunicado muito bem com pessoas com deficiência auditiva¨, argumentou  Moises Bauer.
O relator Paulo Paim fez sua apresentação reiterando que os avanços científicos e tecnológicos são essenciais para ampliar a acessibilidade e portanto, a inclusão social dessa parcela da população.
Fonte : Neivaldo A. Zpvico
  O Presidente da Comissão, Senador Eduardo Barbosa convidou o Coordenador Prof. Neivaldo Zovico para falar sobre o discurso da comunicação dos Surdos no Brasil.
O Presidente da Comissão, Senador Eduardo Barbosa que presidiu a Comissão.
 O Relator, Senador Paulo Paim reconheceu que a comunicação dos Surdos é importante por causa da inclusão social no Brasil e deverá incentivar os Surdos.
 Coordenador Prof. Neivaldo explica que os surdos tem igualdade aos todos por isso que é direito de ter a comunicação com tecnologias melhores e avançadas com preço justo. 
O Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos Prof. Neivaldo fala sobre a tecnologia de comunicação para o Presidente do Sindicato dos Interpretes de Distrito Federal.

Audiência Pública do ANCINE sem interprete de LIBRAS para Surdos


Foram divulgadas em Audiência Pública as criticas sobre as minutas das Instruções Normativas que regulamentaram a Lei 12.485/2011 da  Comunicação Audiovisual no Serviço de Acesso Condicionado – SEAC.
A  Audiência Pública aconteceu no dia 13 de fevereiro no auditório da Cinemateca da Vila Mariana – São Paulo, realizado pela ANCINE – Agência Nacional de Cinema.  O Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos, Prof.  Neivaldo  A.  Zovico se interessou em fazer a inscrição para o evento, solicitou o interprete de LIBRAS para a Ouvidoria da ANCINE.O ouvidor Valério N. Vieira lamentou  não ter condições para arcar com  as despesas para interpretes de LIBRAS e prometeu que na próxima audiência  haverá  interprete de LIBRAS .O Prof. Neivaldo esperará  a próxima audiência e as criticas  serão  feitas  para a regulamentação da Lei.
O  Prof. Neivaldo compareceu ‘a recepção da Audiência Pública e fez o sinal SOU  SURDO, LIBRAS, a moça da recepção pediu para aguardar e ele  esperou  quase 30 minutos e ninguém apareceu ,enquanto isso a audiência havia começado. Encontrou  surdos oralizados e eles disseram que não havia interprete de LIBRAS . Foram ao auditório pois eles entendem bem a leitura labial mas o Prof. Neivaldo não consegue entender tudo em leitura labial, causando-lhe frustração .
Diante disso tudo, o Prof. Neivaldo levou ao auditório diversos cartazes  com a seguinte frase: “CADÊ NOSSO DIREITO” – INTERPRETE DE LIBRAS”, mostrou ao público e entregou aos responsáveis pela mesa que apresentavam  as propostas de regulamentação da Lei, estes não demonstraram  preocupações  sobre a acessibilidade para Surdo. O Prof. Neivaldo sentou-se na frente  exibindo o cartaz que foi fotografado e filmado por profissionais que ali estavam.
O Prof. Neivaldo diz que se sentiu excluído pela ANCINE que não demonstrou preocupação com o atendimento ao surdo e também por não providenciar  interprete de LIBRAS. Como  haviam muitos diretores, roteiristas, empresários, funcionários e etc., o Prof. Neivaldo  queria sensibiliza-los e apresentar a proposta sobre acessibilidade para surdos para esta regulamentação de Lei , no Brasil existem 9,7 milhões de surdos e a Lei de Acessibilidade foi feita há mais de 12 anos ,mas ainda hoje não é respeitada.
Isso é uma vergonha!!! O Prof. Neivaldo ficou sentando sem entender as informações que eram passadas, desistiu e foi embora. A ANCINE não o procurou  para esclarecimentos sobre o fato.
De agora em diante  as Agências Nacionais de diversos setores deverão se preocupar com a acessibilidade para Surdos, dizem que os Surdos não participam de nada, lógico que não participam, não tem acesso. A Presidente Dilma assinou o decreto Viver sem Limite com investimento de milhões e onde está esse dinheiro ??
Fonte : Neivaldo A. Zovico

sexta-feira, 9 de março de 2012

Coordenador Nacional de Acessibilidade participou na Reunião do Anatel sobre CIC – Central de Intermediação de Comunicação


Aconteceu no dia 07 de fevereiro, na sede da Secretaria de Direitos Humanos e Conselho Nacional dos Direitos das Pessoas Portadora de Deficiência uma audiência com membros da Anatel sobre a Central de Intermediação de Comunicação do uso do TDD/TS – Telefone para Surdos para saber se estão em uso ou utilizando outros tipos de tecnologias de comunicação.  Participaram muitos representantes de instituições, entre eles, o Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da Feneis, o Prof. Neivaldo A. Zovico e o Sr. Carlos Paiva, o Diretor Regional da Feneis/DF o Sr. Messias Costa, os  Conselheiros do Conade  José Carlos e Marcos Bandeira, a Advogada da CBS Tatyane Dé Carli, a Doutora em Linguística da UnB  Lúcia Maria de Assunção Barbosa, a Presidente da APADA Isabel Alves de Souza e membros da Anatel e outros visitantes.
A audiência foi organizada por Cristina Camarate Leão que é Especialista em Regulamentação da Anatel com o apoio da Secretaria de Direitos Humanos que contrataram três interpretes de LIBRAS para Surdos e também receberam as criticas dos representantes da comunidade surda para melhorar a comunicação com novas tecnologias. O Coordenador Prof. Neivaldo, pesquisador com mais de 12 anos de experiência em tecnologia de comunicação, demonstrou muita preocupação com a comunicação de todos os surdos sinalizados, surdos oralizados, pessoas ensurdecidas e deficientes da fala.
O Prof. Neivaldo apresentou o trabalho em PPT com diversos gráficos, diz que a CIC – Central de Intermediação de Comunicação é importante para a comunidade surda no Brasil para a independência do surdo, pois necessitam marcar consulta médica, comprar pizza, comprar passagem aérea, reservas, aluguel de carros, serviços de emergências e etc sem ter que pedir a outra pessoa para ligar, mas com a evolução de novas tecnologias muitos deixaram de usar o TDD/TS conforme mostram os dados da pesquisa, os Surdos alegaram que não usam o TDD/TS e que utilizam atualmente webcam, SMS (torpedo) e chat (on line), conforme dados da pesquisa realizada pelo site www.centrodepesquisaparasurdos.blogspot.com.
Ainda hoje existe a única empresa que faz a intermediação de LIBRAS para via oral através de webcam que é videoconferência com mesmo pago pelo Surdo, a outra empresa que faz intermediação de SMS e chat para via oral que também é pago pelo Surdo, a única empresa que não cobra é Operadora OI que faz serviços de intermediação para via oral somente para clientes da OI que têm pós-pago ou pré-pago.
O Prof. Neivaldo solicitou ‘a Anatel a elaboração de uma politica surda ajudando os Surdos a terem benefícios de comunicação como pacotes de dados – SMS, Serviço de Internet móvel 3G e 4G, serviços de banda larga e equipamentos como tablet, smartphone, videofone e laptop subsidiados com os fundos pagos ao FUST.
Pediu providencias quanto ao serviço de atendimento de emergências em todo o Brasil (policia, bombeiro e resgate), facilitando a comunicação do surdo em casos de emergências. A Policia Militar do Estado de São Paulo implantou o serviço, mas ainda não está funcionando.
Também solicitou que o SAC – Serviço de Atendimento ao Consumidor deveria ter equipamentos mais adequados como webcam, SMS (torpedo) e chat para que os consumidores surdos pudessem ligar. No momento a Lei de Call Center nº 6.523/2008 obriga as empresas de SAC a comprar o TDD/TS para atender os consumidores Surdos, mas na verdade ninguém usa por ser uma tecnologia ultrapassada. O prof. Neivaldo pediu que a Lei exigisse outro tipo de tecnologia mais atualizada para a comunicação dos consumidores Surdos. Algumas empresas já mudaram para atendimento on line e SMS (torpedo), pois estas empresas são conscientes e entenderam que essa é a melhor forma de atendimento aos consumidores Surdos.
A advogada da CBS, Tatyane concordou com as declarações do Prof. Neivaldo e pediu para que seja respeitada a opinião dos surdos.
O conselheiro José Carlos exemplificou que quando acontece acidente de carros nas estradas com pessoas surdas, estas acabam indo embora, pois não tem como enviar pedidos de socorro através de SMS, pois as Concessionárias de Estrada não tem atendimento via SMS.
O Diretor Regional da Feneis/DF, Messias Costa diz que usa a internet para se comunicar com amigos através de webcam, pois os surdos não compreendem muito a língua portuguesa por causa da estrutura gramatical. A maioria dos Surdos usam frases mais simples e também escrevem sem a estrutura gramatical da língua portuguesa, algumas pessoas conseguem compreender frases feitas pelos Surdos, mas pretendem ter smartphone para a comunicação via webcam, chat e SMS (torpedo), mas não tem condições para comprar.
A doutora em linguística Lucia Barbosa, explicou sobre a Identidade do Surdo, que a aquisição da linguagem dos Surdos é através de LIBRAS, uma linguagem visual, alguns Surdos conseguem fazer a leitura labial, mas o mais importante é que todos querem a visualização por isso a doutora pediu a Anatel que reconheça os Direitos dos Surdos sinalizados porque eles precisam de comunicação visual através de webcam e que deveriam  aceitar as opiniões dos Surdos.
A Presidente da Apada, Isabel Alves de Souza disse que os surdos não usam TDD/TS porque não estão instalados em lugares públicos ou estão muito longe por isso os surdos não querem usar e também precisa de mais divulgação sobre o TDD/TS - telefone para surdos, o discurso da Presidente Isabel foi ignorado pelos Surdos e visitantes, pois todos entendem que essa tecnologia  é velha, ela entregou o documento da manifestação do TDD/TS  para a Cristina Leão do Anatel.

Antes de terminar a reunião, Cristina Leão agradeceu a todos a participação com criticas e sugestão para melhorar a comunicação do CIC para Surdos, prometeu que vai se reunir com os membros da Anatel para resolver e melhorar a comunicação dos Surdos e também pediu a todos representantes que houvesse mais mobilizações das associações para que o Governo pudesse ver o que nós, surdos, precisamos para uma melhor comunicação.

Fonte : Neivaldo A. Zovico

O Prof. Neivaldo apresenta o trabalho de pesquisa que foi feito pelos surdos para o uso do CIC – Central de Intermediação de Comunicação usados pelos Surdos.

O Prof. Neivaldo apresenta o gráfico sobre o uso do TDD/TS – Telefone para Surdos é uma tecnologia velha que ninguém estão usando.

Vários representantes de Instituições da Comunidade Surda assistiram a critica de cada pessoa sobre o uso do CIC – Central de Intermediação de Comunicação com uso do TDD/TS.                                                              

quinta-feira, 8 de março de 2012

ILIBRAS oferece Serviços de Intermediação para Surdos


A Empresa ILIBRAS  oferece  aos Surdos e pessoas com deficiência auditiva e da fala ,o serviço de intermediação , quebrando as barreiras na comunicação entre surdos e ouvintes através de  mensagens tipo SMS (Short Message Service), atendimento on line (chat) ou e-mail (endereço eletrônico) que serão intermediadas em via oral para pessoas ouvintes com quem o surdo deseja  se comunicar, promovendo assim a integração entre surdo e ouvinte dentro da Sociedade Brasileira.
O objetivo deste Serviço de Intermediação para Surdos é que o Surdo tenha liberdade sem pedir a ajuda à outra pessoa para fazer ligações para marcar consulta médica, comprar pizza com amigos Surdos, chamar taxi, alugar carro, chamar mecânico, avisar ao chefe do trabalho, etc.
O Surdo escolhe qual a forma de envio de mensagem : mensagens tipo SMS (Short Message Service), atendimento on line (chat) ou e-mail (endereço eletrônico) e enviará para a Serviço de Intermediação para Surdos utilizando o número de discagem da ILIBRAS que funciona em todo o Brasil. Assim a intermediadora ILIBRAS recebe a mensagem que o Surdo enviou informando com quem quer falar e qual o número que a intermediadora deverá ligar, pode ser um número fixo ou celular. A intermediadora ligará para a pessoa ouvinte e intermediará a ligação. O Surdo receberá as mensagens em seu celular ou smartphone , atendimento on line  ou e-mail sobre toda informação da conversa.
O Serviço de Intermediação para Surdos tem planos de pagamento  mensal, semestral ou anual escolhido pelos clientes Surdos e pessoas com deficiência auditiva e da fala. A ILIBRAS funciona de segunda a sábado das 8:00hs até 22:00hs com atendimento privilegiado aos Surdos e Deficientes Auditivos e da Fala. Para saber mais informações entre no site : www.ilibras.com.br
Fonte : Neivaldo A. Zovico


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Viável Brasil oferece SIV - Serviço de Intermediação por Vídeo

Chegou ao Brasil, à única e pioneira empresa no setor de telecomunicações, a Viável Brasil que oferece SIV - Serviço de Intermediação por Vídeo de LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais e em via oral para pessoas ouvintes, podendo ser usados pelos Surdos e pessoas com deficiência auditiva e da fala.
O Viável Brasil prestará serviços aos Surdos sinalizados, Surdos oralizados, pessoas com deficiência auditiva e da fala, quebrando as barreiras de comunicação e promovendo a integração entre os vários tipos de Surdos e ouvintes dentro da Sociedade Brasileira.
O objetivo deste SIV - Serviço de Intermediação por Vídeo é que Surdo tenha independência sem pedir a ajuda à outra pessoa para fazer ligações para marcar consulta médica, comprar pizza com amigos Surdos, chamar taxi, alugar carro, chamar mecânico, avisar ao chefe do trabalho, etc.
O Surdo deverá adquirir o equipamento de videofone tipo VPAD, vendido exclusivamente pelo Representante no Brasil, Empresa Viável Brasil Telecomunicações e Visual Ltda. O VPAD deverá ser ligado a um cabo de internet ou WI FI acima de 1 mega, digitará o número desejado para falar com o ouvinte, poderá ser para telefone fixo  ou móvel , aguardará a chamada da intérprete de LIBRAS, iniciará  a comunicação em LIBRAS do Surdo para a Intérprete e ela traduzirá em via oral para a pessoa ouvinte o que Surdo deseja falar e ele receberá todas as informações  sobre a conversa em LIBRAS.
 O equipamento VPAD poderá ser usado para a comunicação entre Surdo e Surdo, ou Surdo e Ouvinte, pois contém VIVA VOZ, funciona com WI FI e bateria, poderá ser mudado para qualquer lugar onde desejar usá-lo, como sala, quarto, escritório, etc.
O SIV- Serviço de Intermediação por Vídeo funciona em todo o Brasil, os intérpretes de LIBRAS são profissionais capacitados no trabalho de interpretação pela Empresa Viável Brasil que segue o código de Ética e sigilo quando estão interpretando. O horário de funcionamento é das 08:00hs até 22:00hs de segunda a sexta e das 8:00hs até 19:00hs aos sábados, em breve funcionará em 24 horas de todos dias.
Para utilizar o SIV – Serviço de Intermediação por Vídeo, o serviço é pago por mês, que tem diversos pacotes de minutos para escolher para utilizar este serviço, entre no site para saber mais informações www.viavelbrasil.com.br.
Fonte : Neivaldo Augusto Zovico

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Operadora OI oferece CIC- 142 Central de Intermediação de Comunicação por SMS



A Operadora OI está oferecendo aos Surdos e pessoas com deficiência auditiva e da fala a quebra de barreiras na comunicação através de mensagens tipo SMS (Short Message Service) intermediadas em via oral para pessoas ouvintes, promovendo a integração entre surdo e ouvinte dentro da Sociedade Brasileira.
O objetivo deste CIC é que o Surdo tenha liberdade sem pedir a ajuda à outra pessoa para fazer ligações para marcar consulta médica, comprar pizza com amigos Surdos, chamar taxi, alugar carro, chamar mecânico, avisar ao chefe do trabalho, etc.
O Surdo escreve a mensagem e enviará para a CIC utilizando o número de discagem 142 que funciona em todo o Brasil com a Operadora OI. Assim a operadora do CIC recebe a mensagem que o Surdo enviou informando com quem quer falar e qual o número que a operadora deverá ligar, pode ser um número fixo ou celular.
A operadora ligará para a pessoa ouvinte e intermediará a ligação. O Surdo receberá as mensagens em seu celular ou smartphone sobre toda conversa.
A CIC é gratuita aos clientes surdos e pessoas com deficiência auditiva e da fala, usuários dos serviços pós ou pré-pago, esse serviço já está implantado em todos os Estados Brasileiros. A CIC funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana com atendimento privilegiado aos Surdos e Deficientes Auditivos e da Fala.
Fonte : Neivaldo Augusto Zovico

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da FENEIS participou na reunião do projeto Kit Adaptadores para Programa Minha Casa Minha Vida.


Aconteceu em Brasília, no dia 9 de dezembro de 2011, na sede da Secretaria Nacional de Promoção da Pessoa com Deficiência junto com a Secretaria de Direitos Humanos, uma reunião muito importante sobre acessibilidade nos edifícios e casas habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida atendendo às especificidades da população, preparando para atender e acomodar as diferentes necessidades que surjam ao longo da vida de cada morador.
A Secretaria pretende incluir no Desenho Universal um padrão para todas as unidades habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida, serão desenvolvidos os “Kits Adaptação”, com ajudas técnicas necessárias para atender à demanda especifica das pessoas com deficiência (usuárias de cadeiras de rodas, física, visual, auditiva e intelectual) e dos idosos.  Deverão ser disponibilizados em pelo menos 3% das unidades habitacionais.
Este projeto está dentro do Programa “Viver Sem Limite” onde a Presidente Dilma Rousseff revogou o novo decreto nº 7.611 de 17 de novembro de 2011 melhorando a acessibilidade nas moradias habitacionais financiadas pela Caixa Econômica Federal onde os deficientes e idosos poderão acomodar e sentir satisfação em suas casas.
Compareceram diversos representantes das associações de pessoas com deficiência juntamente com representantes da Caixa Econômica Federal, técnicos em arquitetura e engenharia civil, para discutir a composição dos “Kits de Adaptação” que serão instalados nas unidades habitacionais destinadas às pessoas com deficiências e idosas, de modo que possam atender ao maior número de pessoas possível, dentro de suas especificidades, os interpretes de LIBRAS participaram junto com o representante surdo Prof. Neivaldo.
Um dos representantes, Prof. Neivaldo A. Zovico – Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da Feneis, que foi membro da Comissão de Estudos da Comunicação e Visual da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas há mais de 10 anos, participou e elaborou junto com a equipe, a norma NBR 15599 e NBR 15290, o próprio professor surdo Neivaldo solicitou a inclusão de recursos visuais nos Kits Adaptação para os surdos que são:
- Sinalização luminosa tipo estroboscópica instalados em todos os cômodos interligados a campainha e ao interfone.
- Sinalização de vibração tipo dispositivo vibratório (controle remoto pequeno) colocado junto ao corpo interligado à campainha e ao interfone.
- a campainha e o interfone deverão dispor de vídeo.
A reunião terminou com a satisfação de sugestões e discussões, os representantes da Caixa Econômica Federal agradeceram a participação dos diversos representantes e a Diretora de Politicas Temáticas da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a Srta. Ana Paula Crossara de Resende também agradeceu a todos pela presença durante a reunião.




O Coordenador Prof. Neivaldo de camisa azul ao fundo está assistindo a interpretação durante a discussão da Coordenadora da ABNT e Arquiteta Dra. Adriana de Almeida Prado e representantes da Caixa Econômica Federal.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

III Encontro Internacional de Tecnologia traz novidade para Surdos


Aconteceu no período de 24 a 26 de outubro deste ano, o III Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência. Organizado pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo, o objetivo do Encontro era promover a discussão de problemas de acessibilidade para a inclusão da pessoa com deficiência nos espaços públicos e privados.
Foram convidados renomados profissionais das áreas de Tecnologia Assistiva, Instituições, Universidades, Centros e laboratórios de pesquisa, bem como de empresas nacionais e internacionais e representantes do poder público, para juntos discutirem avanços de tecnologias e inovação.
Foram realizadas diversas palestras com a presença de autoridades do Governo Federal, Estadual e Municipal.
Durante o encontro foi apresentada a Exposição de Inovação em Tecnologias Assistivas com o tema “O Desenho Universal na Indústria Brasileira” com o objetivo de mostrar como a ideia de Desenho Universal vem influenciando a produção das empresas brasileiras.
O Seminário onde foi feito o III Encontro teve sua estrutura totalmente adaptada para receber todas as deficiências com a presença de intérpretes de LIBRAS e telão com legenda em Língua Portuguesa para os surdos presentes poderem entender o conteúdo apresentado.
O destaque na área da Surdez foi a apresentação da Empresa Viável Brasil que foi selecionada pela comissão organizadora do evento para expor o que os surdos precisam para a comunicação.
A empresa Viavel Brasil foi criada pelo Empresário Surdo Alexsandro Grade. A inovação permitirá que os surdos adquiram o videofone, equipamento que permitirá serviços de intermediação diversos. Este serviço é mundialmente conhecido como SIV – Serviço de Intermediação por Vídeofone.
Com o SIV – Serviço de Intermediação por Videofone, através de uma central de intérpretes de LIBRAS da Empresa Viavel Brasil, o Surdo poderá interagir com outras pessoas por voz, através da ajuda da Central, que intermediará a conversa e vice-versa.
Este SIV já existe nos Estados Unidos com apoio do Fundo de Telecomunicações do país, mas no Brasil a comunicação dos surdos pelo videofone ainda não é reconhecida.
O Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da Feneis, Sr. Prof. Neivaldo Zovico visitou o stand da Empresa Viavel Brasil e pôde perceber que a tecnologia evoluiu muito e hoje no mundo, todos os surdos estão usando câmeras para a comunicação. Ele considera importante para a comunicação do cidadão Surdo a utilização cada vez maior de tecnologias que auxiliem na quebra de barreiras.
“Para que os surdos possam interagir cada vez mais na sociedade brasileira conforme o artigo 5º em que se lê que “...todos somos iguais...” e estamos lutando muito para que a sociedade reconheça a utilização dos surdos por essas tecnologias, através da comunicação por LIBRAS. O grande desejo da comunidade Surda é que os órgãos públicos reconheçam a comunicação pelo videofone e também o uso de SMS nos celulares em casos de emergências.
As autoridades do Governo Municipal, Estadual e Federal visitaram o estande onde foram expostos videofones com demonstração do uso de SIV – Serviço Intermediação por Videofone.
Até mesmo o pessoal do CELIG – Central de Intérpretes de LIBRAS e Guia-Intérprete aprovaram o uso do videofone e o serviço de SIV, superior ao equipamento hoje usado por eles nas subprefeituras da cidade de SP. 


Fonte : Neivaldo A. Zovico
Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos, Sr. Neivaldo com os Surdos da Viável Brasil, Alexsandro Grade – Dono da Empresa e o vendedor  Armando.



Autoridades Municipais no estande : Monica Amoroso – Diretora da Escola Municipal de Surdos Helen Keller e Roberto Belleza – Assessor da Presidente de Turismo de SP assistindo a demonstração do SIV – Serviço de Intermediação por Videofone.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

sábado, 12 de novembro de 2011

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

domingo, 31 de julho de 2011

Grupo de Surdos criticam tecnologias de comunicação para Surdos no Fórum Alô Brasil! promovido pela ANATEL

Aconteceu no dia 18 de julho, na Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo, a 4ª. etapa do Fórum Alô Brasil, que reuniu mais de 140 pessoas e muitos representantes surdos.

Entre eles : o Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da Feneis, Sr. Neivaldo Zovico, o Presidente da Associação dos Surdos de São Paulo, Sr. Paullo Vieira, o Professor Surdo Alexandre Melendez, o Executivo da Empresa Viable, Alexandre Grade e um grupo de surdos da cidade de Franca trazidos pela APADA-Franca a fim de incentivar a participação social no processo de regulamentação de leis para melhoria da comunicação em todo o Brasil.

Compareceram à abertura do evento o Presidente da ANATEL, Embaixador Ronaldo Sardenberg, a Superintendente Executiva da Agência, Simone Scholze, a chefe da Assessoria de Relações com Usuários, Rúbia Marize de Araujo, o gerente do Escritório Regional da ANATEL em São Paulo, Everaldo Gomes Ferreira, e o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados, o deputado federal Roberto Santiago.

Como todo evento em que há participação de surdos, o Coordenador Neivaldo havia ressaltado a importância para os organizadores da ANATEL de que houvesse a presença de um intérprete em Língua de Sinais para o entendimento de todo o conteúdo pelos participantes Surdos.

Porém, mais uma vez a organização do evento falhou e não havia pessoa adequada para tal tarefa. Inicialmente foi sugerida a Sra. Presidente da APADA- Franca Isabel Alves de Souza, mas não se tratava de profissional com experiência, o que deixou os Surdos também descontentes. Diante da dificuldade o Coordenador Neivaldo e os próprios Surdos participantes, mobilizaram-se para chamar amigos intérpretes profissionais, e por fim conseguiram 3 intérpretes: Wilson (intérprete da Feneis-SP), Cynthia e Renato, que revezaram-se nas interpretações.

O evento seguiu-se pela tarde com uma reunião específica para o público Surdo com a presença de diversas pessoas que trabalham na ANATEL e Comissão de Defesa ao Consumidor, Irani Cardoso Silva – gerente Geral de Planejamento e Contratação substituta da Superintendencia de Universalização da ANATEL, Lila Ganzer – Especialista em Regulação – Superintendencia de Universalização da ANATEL, Carolina Guedes – Especialista em Regulação Superintendência de Serviços Privados, Anderson Pereira – Assessor do Deputado Roberto Santiago, Vlamir Carvalho – Consultor da Kyron Tranining, com o objetivo de mostrarem o que está sendo feito pela ANATEL e conversarem sobre o que os Surdos precisam hoje nas comunicações e discussão de formas de como melhorar esse setor para esta população.

Houve a apresentação da Sra. Lila da ANATEL mostrando as instalações dos telefones para Surdos e que estão aumentando. O Prof. Neivaldo fez a colocação de que mesmo com estes telefones aumentando nas instalações os Surdos não estão sendo beneficiados, pois estes equipamentos são ultrapassados e não são usados efetivamente pela sociedade Surda.

Os Surdos presentes, então manifestaram-se em massa, reiterando positivamente a afirmação do Coordenador, de que o TDD é tecnologia ultrapassada e de que hoje eles são usuários de internet (através chats e web cam) e SMS-torpedos de celular para comunicarem entre si.

O Coordenador também aproveitou para manifestar sua indignação de que o dinheiro do FUST (Fundo de Universalização dos Sistemas de Telecomunicações está sendo mal empregado, uma vez que não beneficia a população no que ela mais precisa.

O Sr. Paulo Vieira da Associação dos Surdos de São Paulo também manifestou-se dizendo que a entidade tem um telefone para Surdo instalado, mas ninguém o utiliza, pois preferem a facilidade da comunicação moderna através de SMS, web chat e web cam.

Houve ainda a manifestação do prof. Surdo Alexandre dizendo que numa tentativa de atendimento da empresa NET, levou muitas horas para resolução de seu problema e que o telefone para surdos não é suficiente para os Surdos comunicarem-se e confirmou o uso de SMS, web chat e web cam

Uma pesssoa surda de Franca disse que teve problemas com agência bancária que orientou-a a usar o telefone para Surdo para desbloqueio de cartão, coisa impossível de se fazer, pois os aparelhos praticamente não existem ou quando existem, não funcionam bem.

Carlos Paiva, ouvinte e membro da Coordenadoria de Acessibilidade, manifestou-se dizendo que os surdos não possuem pacotes específicos para acesso a dados no celular e que para usarem internet no celular precisam pagar junto planos de voz que não são usados. Ressaltou a importância da existência de planos específicos para a Comunidade Surda e com valores economicamente acessíveis.

Também citou o descaso com as reivindicações feitas na ocasião da consulta pública sobre as Centrais de Intermediação 142, feita em 2008. Afirmou que muitos representantes da comunidade surda, intérpretes e ouvintes pediram que estas Centrais utilizassem tecnologias modernas como Web Chat, SMS e Vídeo para esta intermediação. A resolução nº 509 de 14 de agosto de 2008, não colocou nenhuma destas novas tecnologias, mantendo o 142 pelo TDD. Então por que pedem para que os Surdos participem de Audiencia Pública se nada acontece? A ANATEL pensa que somos palhaços, e não respeita a nossa opinião?

O Executivo da Empresa Viable, Alexandre Grade, citou que 93% dos surdos brasileiros conhecem pouco a Língua Portuguesa e por isso é necessário o uso do vídeo chamada para comunicar em LIBRAS pois nos Estados Unidos e Europa que todos comunicam em Língua de Sinais através de vídeo chamada e distribuídos gratuitos para pessoas surdas.

Um consumidor surdo Armando que veio de Londrina citou um episódio em que viu um telefone para Surdo pela primeira vez numa lotérica e nem ele mesmo sabia para que servia aquilo. Quando perguntou para a atendente se algum dia viu alguém usando, a moça respondeu que nunca havia visto.

A consumidora surda Alisney de Franca disse que na cidade de Franca tem telefone para surdos mas ninguém usa, a comunidade surda da Franca usa muito mais as facilidades de internet e SMS para comunicarem-se.

A Presidente da APADA – Franca, Isabel diz que fez solicitações sobre instalação do telefone para surdos na cidade da Franca onde os surdos moram, porque os surdos usam e existe o direito dos surdos.

Depois de discussão sobre a velha tecnologia de comunicação que é telefone para surdos, existe a influencia do fabricante de telefone para surdos fizeram acordo com a instituição a fazer solicitações para instalação do telefone para surdos que os surdos nem estão sabendo de nada se são necessário ou não.

Foi pedido para que a ANATEL fizesse uma auditoria junto às operadoras que instalaram os TDD e verificasse quantos minutos são usados em cada um destes telefones, para ter a certeza quanto à sua utilização.

Ao final da reunião, o prof. Neivaldo solicitou ao Presidente da ANATEL Sr. Ronaldo que escutasse as reivindicações da comunidade surda para as mudanças necessárias na área de telecomunicações para os Deficientes Auditivos e Surdos e também entregou uma carta oficio em nome da FENEIS – Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos com as reivindicações da comunidade e dados que o mesmo vem colhendo ao longo desses anos atuando no ramo de Acessibilidade para Surdos junto a entidade. Também foram entregues exemplares da revista Reação, com artigos publicados por ele com o mesmo tema.


Depois do almoço, todos foram para sala de reunião onde debateram as criticas dos surdos sobre as tecnologias de comunicação, com a presença de interprete de LIBRAS.

O Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos, prof. Neivaldo entrega Oficio documentando as necessidades dos Surdos e as revistas com artigos escritos por ele, para que a Anatel tenha conhecimento das novas tecnologias de comunicação dos surdos.

Surdos e ouvintes reunidos junto com o Presidente da Anatel Ronaldo Sardenberg.

Fonte : Neivaldo Zovico














































































sexta-feira, 8 de julho de 2011

Coordenador de Acessibilidade faz palestra Congresso de Medicina sobre o projeto “LIBRAS em Saúde”

Nos dias 10, 11 e 12 de junho deste ano na cidade de São Paulo, foi realizado o 2º Congresso Acadêmico da APM - Associação Paulista de Medicina e outras instituições de medicina também colaboraram com o evento, como : AMB – Associação Médica Brasileira, ABLAM – Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas, Núcleo de Saúde Jr. e a IFMSA-Brazil.

Foram dois dias com intensa programação científica e humanizada com apoio do Governo do Estado de São Paulo, no Prédio da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP.

No dia 11 de junho, o professor Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da FENEIS, Prof. Neivaldo Augusto Zovico realizou palestra sobre a importância do ensino de LIBRAS aos profissionais e estudantes da área de saúde.

A palestra contou com interpretação de Andrea Martinho e serviu para propagar a importância do conhecimento da LIBRAS no contexto da Saúde.

O Prof. Neivaldo aproveitou para explicar sobre como atender aos surdos no contexto hospitalar tanto nos hospitais como em consultórios, onde os médicos deverão conhecer um pouco sobre LIBRAS.

É importante que os profissionais saibam noções sobre a cultura dos Surdos e particularidades como a NÃO necessidade de gritar ou falar em voz alta, considerando sua deficiência. O professor ainda contou episódios pelos quais já passou em consultas, como o constrangimento em perceber o profissional escrevendo e falando com a cabeça abaixada, desconsiderando a sua deficiência. O mais importante nesses atendimentos é que o profissional saiba colocar-se na situação do paciente, levando em conta sua deficiência e a necessidade da adaptação no atendimento. Assim, o mais importante, mesmo que o profissional não saiba língua de sinais é que este tenha paciência na comunicação e transmissão de informações. O surdo se oralizado, compreenderá a fala pausada do médico. Caso o paciente seja usuário exclusivo de língua de sinais, a presença de um intérprete será necessária.

Diante desses exemplos vividos pelo professor, os alunos e participantes do congresso puderam perceber a importância na aprendizagem da LIBRAS no contexto da Saúde. A LIBRAS é uma língua como qualquer outra, somente o canal de comunicação é diferente das línguas orais, pois ela é ESPAÇO-VISUAL.

Finalizando, o Sr. Guilherme Sperling Torezani estudante de medicina, National Officer on Medical Education 2010.2 – 2011, International Federation Of Medical Students' Associations - Brazil (IFMSA-Brazil), Presidente do I Simpósio da IFMSA-Brazil, deu a palavra aos estudantes e participantes do Congresso e salientou a importância na aprendizagem do curso de LIBRAS, para uma melhor comunicação e atendimento do paciente surdo. Também salientou a necessidade de todas as faculdades acompanharem o Decreto de LIBRAS nº 5.626/2005 dentro das disciplinas.

Fonte : Neivaldo Zovico

O professor Neivaldo faz a palestra aos estudantes de Medicina no Congresso a importância de aprender em LIBRAS para atender pacientes surdos.

O Coordenador Nacional de Acessibilidade faz palestra sobre a passeata dos Surdos em Brasília para Escolas de Surdos em São Paulo

Coordenador nacional de acessibilidade para Surdos da Feneis faz palestra em escolas de surdos de São Paulo para esclarecimento sobre movimento a Favor da Educação Bilíngue para Surdos. A informação deve chegar a todas as idades desde o ensino infantil até o ensino fundamental e médio.

Realizada no dia 7 de junho, o professor e Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da FENEIS Neivaldo Augusto Zovico fez palestra para todos alunos e professores da Escola Municipal de Educação Especial “Helen Keller”.

Com projeção de fotos e exposição em 3 períodos (manhã, tarde e noite), alunos e professores ficaram entusiasmados com o movimento que reuniu 4 mil surdos e ouvintes, líderes surdos entre outros, que foram representados por lideranças nacionais de todas as partes do país, auxiliados por intérpretes de Libras na intermediação de diálogos com o governo em diversos setores de Brasília.

Os alunos e professores puderam perceber a capacidade de um movimento organizado, que conseguiu mobilizar audiências no CONADE, Procuradoria Geral de Republica entre outros órgãos do governo.

Outra Escola de Surdos que também recebeu palestra sobre o tema foi a EMEDA – Escola Municipal de Educação Especial “Vera Lucia Aparecida de Ribeiro no bairro de Pirituba na cidade de São Paulo no dia 02 de julho. Realizada no mesmo dia em que houve a reunião de pais e alunos com professores, todos ficaram emocionados com a apresentação das fotos de mais de 4 mil surdos e ouvintes durante passeata em Brasília e diversas audiências dos surdos.

Veja no blog do acessibilidade para surdos que já saiu as noticias pois mesmo o professor e coordenador Neivaldo Zovico participou nestes dias de passeata e audiências com diversos autoridades do Governo Federal, veja o site :http://acessibilidadeparasurdos.blogspot.com/2011/06/coordenador-nacional-de-acessibilidade.html

Também há informações na revista da Feneis, aproveitem para entrar no site e baixar a revista completa e divulgue para todos os alunos surdos e também ouvintes para conhecer os nossos direitos cidadãos que fizemos em Brasiliahttp://www.feneis.org.br/page/imagens/noticias/noticias_2011/Revista%20Feneis_44.pdf

Fonte : Neivaldo Zovico

No auditório da Helen Keller onde o professor Neivaldo apresentou a portaria que a Secretaria dos Direitos Humanos criou o grupo de trabalho somente para surdos a participar.
O aluno tirou a dúvida sobre a passeata dos surdos em Brasilia onde o professor apresentou sobre Educação Bilíngue para Surdos.

Na Escola Municipal de Surdos, Vera Lúcia Aparecida de Ribeiro onde o professor apresentou sobre a passeata dos Surdos e a favor da Educação Bilíngue para Surdos.

O professor Neivaldo posou a foto com as professoras e alunos da Escola.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

domingo, 19 de junho de 2011

Coordenador Nacional de Acessibilidade participa de Passeata em Brasília a favor da Educação Bilíngue para Surdos

Em 2010 durante a Conferência Nacional de Educação, a comunidade Surda teve suas propostas mais importantes para a área de educação rejeitadas. Mais tarde, neste mesmo ano, declarações da assistente da secretaria de Educação Especial do MEC Martinha Claret não foram bem vistas pela comunidade surda, quando ela deu uma declaração na revista da FENEIS dizendo que os surdos não têm cultura. Nessa mesma entrevista, ela anunciou a pretensão em fechar o INES – Instituto Nacional de Educação de Surdos até o final de 2012 e também o IBC – Instituto Benjamin Constant de ensino de cegos, para a mudança desses alunos para o sistema de inclusão.

Por conta destes acontecimentos que deixaram os Surdos insatisfeitos e frustrados um grupo liderado pela surda Mariana Hora e a equipe da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos liderada pela Diretora de Politicas e Educacionais Doutora Patricia Rezende, organizaram-se para a realização de uma passeata em Brasília nos dias de 19 e 20 de maio.

Iniciou-se um movimento intenso de comunicação entre as lideranças surdas de todo o país através de tecnologias amplamente usadas entre eles como Facebook, e-mails e SMS, que movimentou todas as pessoas ligadas à Educação especial de Surdos.

Professores surdos, pais de surdos, simpatizantes de surdos, mestres e doutores de Educação de Surdos, interpretes de LIBRAS, ouvintes, etc. em todo o Brasil ajudaram na organização da passeata com faixas de manifestação a favor da Educação de Surdos e também solicitando audiências com as autoridades do Governo.

No dia 19 de maio de manhã em frente ao prédio do MEC – Ministério da Educação e Cultura, estiveram reunidos 300 surdos e ouvintes com diversas faixas, lideres surdos e diretores da Feneis. Os Lideres Surdos, Diretores da FENEIS, Doutoras de Educação de Surdos, Presidente do CONADE, Sr. Moises Bauer; Presidente da FENAPAES, Sr. Deputado Eduardo Barbosa; Presidente da FENAVAPES, Sr. Marcos Gonçalves foram atendidos pelo Ministro da Educação, Sr. Fernando Haddad para receber uma pasta com documentos e declarações que a comunidade surda e a FENEIS fizeram solicitando que a nossa Educação seja continuada e que respeitem a Escola Bilíngue para Surdos e também as propostas de Educação para Surdos no PNE, Plano Nacional de Educação.

Quando terminaram a reunião no MEC, o grupo caminhou até Assembléia Legislativa de Brasília, onde senadores os receberam.

Houve pronunciamento da Dr. Patricia Rezende onde estiveram presentes os Senadores Lindberg de Farias, Wellington Dias, Rodrigo Rollember e Eduardo Suplicy, deputados Federais Eduardo Barbosa e Mara Gabrilli e Deputada Federal do Distrito Federal, Erika Koika. Após o discurso, a Dra. Patricia Rezende e a Presidente da Feneis, Dra Karin Stroebel entregaram as pastas com documentos e pediram para o Senador Lindberg Farias e outros senadores e deputados que analisassem o pedido sobre a Educação Bilíngue para Surdos.

Quando terminou a audiência, a Dra. Patricia Rezende foi entrevistada pelas diversas emissoras de TV e jornalistas falando sobre a importância da continuidade da Escola Bilíngue para Surdos e a importância incluindo nossos direitos linguísticos.

Após o almoço o grupo de surdos caminhou até o Prédio do MEC e também outros prédios em anexos fazendo barulho na frente do prédio onde trabalham Claudia Dutra da Secretaria Especial do MEC e Martinha Claret – assistente técnica da Secretaria Especial do MEC, permaneceram no local das 15 horas até o escurecer do dia.

No início da noite, foram até a Assembléia Legislativa de Brasília e acenderam velas em formato de um laço representando o símbolo universal da luta de uma minoria ao redor do mundo.

No dia 20, o grupo foi até o Museu Nacional de Brasília, com caminhão de som e interpretaram em língua de sinais o Hino Nacional Brasileiro.

A aglomeração reuniu aproximadamente 4 mil pessoas e também receberam especialmente a Elke Maravilha para representar em favor da nossa Educação, a Escola Bilíngue para Surdos, e também a ex-Miss Brasil Surda Vanessa Vidal. Cada pronunciamento no caminhão de som teve interpretação com voz para que a população se Brasília também pudesse entender o manifesto a passeata seguiu até o Congresso Nacional onde houve apresentação de teatro dos surdos, dança de garotas surdas e pronunciamentos de cada líder de Estado de organizações surdas de todo o país.

Mais tarde, o grupo de lideres surdos, diretores da FENEIS e doutores de Educação de Surdos se dividirem para ir em dois lugares : no CONADE – Conselho Nacional de Direitos da Pessoa com Deficiência e na Procuradoria Geral da Republica do Brasil, onde foram apresentadas e entregues as pastas com documentos de dossiê.

O Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da Feneis, Prof. Neivaldo Zovico foi com grupo de Surdos, Paulo Bulhões – Vice Presidente da Feneis, Moryse Saruta – Diretora Regional de São Paulo, professores Claudio Mourão, Cristian Strack, Ana Paula Jung e Doutora de Educação para Surdos Nídia de Sá Limeira e outros membros foram para o prédio de Direitos Humanos encontrar com a Promotora de Direitos Humanos.

Neste encontro, o prof. Cristian explicou o que vem acontecendo no CONAE em Brasília e sobre as propostas que foram rejeitadas na Conferencia Nacional de Educaçao por causa da votação das ONG’s que foram manipulados pelos dirigentes do MEC. O prof. Neivaldo e a Doutora Nídia explicaram sobre a importância da cultura e linguística dos surdos para que a Promotora tomasse ciência.

O outro grupo que foi para a audiência no CONADE – Conselho Nacional de Direitos da Pessoa com Deficiência, explicou o que aconteceu no CONAE, e a Dra Patricia ressaltou a importância de respeitar a nossa linguística e nossos direitos, e também a Dra. Karin falou sobre o direito de cultura e linguística do povo surdo, com auxilio da intérprete de LIBRAS, Simone. Havia diversos grupos de surdos e ouvintes que participaram da audiência na presença de todos os conselheiros do CONADE que são representantes de diversos órgãos públicos do Governo Federal, o representante do MEC, Sr. Joriam diz que não existe a manipulação dentro da CONAE.

Durante a audiência da Promotora de Direitos Humanos, fomos chamados pelo grupo de surdos através de mensagens do celular pedindo que o grupo de surdos comparecer na CONADE para esclarecer sobre a verdadeira que aconteceu em CONAE. Sairam da Promotora de Direitos Humanos e chegaram no final da reunião da audiência, neste momento o professor Neivaldo esclareceu tudo o que aconteceu e mesmo os dirigentes se manipularam os ONG’s a votar contra as nossas propostas de Educação para Surdos que grupo de surdos fizeram para incluir no Plano Nacional de Educação e foram rejeitadas pela votação da CONAE, o Presidente pediu para encerrar a audiência.

Logo mais tarde, surgiu uma boa noticia que a Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes criou uma portaria 956 de 19 de maio deste ano exigindo a criação de uma comissão que a Secretaria coordenará e acompanhará as politicas públicas voltadas às pessoas surdas com os representantes : Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos e 3 associações de surdos de DF e Associação e ou Sindicato dos Intérpretes de LIBRAS para a participação de reunião.

Quando terminou a audiência da CONADE, os grupos de surdos, líderes, diretores da FENEIS e simpatizantes, foram a pizzaria onde estavam presentes 250 surdos para a comemoração da maior passeata que já reuniram em 4 mil pessoas em todo o Brasil.

Cada líder de comunidade surda aproveita para agradecer o apoio e a luta nesse manifesto e deseja que essa batalha continue em benefício da Educação Bilíngue para Surdos.


Fonte : Neivaldo A. Zovico

Na audiencia com Ministro Fernando Haddad a Diretora de Politicas Educacionais da Feneis, Patricia Rezende e diversos membros de ONG’s.

Ministro Fernando ao lado da equipe de Movimento de Surdos. Aprendeu a fazer o sinal que significa I LOVE YOU.

Movimento dos Surdos chegou na Assembléia Legislativa de Brasilia para participar de Audiência com Senadores.

O Senador Lindberg Farias recebeu a visita dos surdos liderada pela Diretora de Politicas Educacionais Patricia Rezende, também estavam presentes os Deputados Federais Mara Gabrilli e Eduardo Barbosa e o Presidente do CONADE, Moises Bauer e outros.

O auditório lotou e o Senador Lindberg Farias ficou feliz por aplausos dos surdos.

Equipe da Feneis, Prof. Neivaldo – Coordenador Nacional de Acessibilidade, Karin Stroebel – Presidente da Feneis, Paulo Bulhões – Vice Presidente e Patricia Rezende – Diretora de Politicas Educacionais aqui mostrando documento que o Senador Lindberg assinou demonstrando recebimento dos documentos e dossiê.

Durante a manifestação, o coordenador Prof. Neivaldo participou do movimento pedindo a saida da Claudia Dutra e Martinha Claret que são membros do MEC.

Os surdos pediram que Shirley Vilhalva assumisse o cargo da Secretaria de Educação Especial como Assistente Técnica pois é linguista e conhece a fundo a realidade da comunidade surda e suas necessidades.

Os surdos manifestaram-se contra Martinha Claret que afirmou que os surdos não têm cultura.

Contradição: Governo Federal preocupa-se com verbas altas para os implantes cocleares e piora a Educação dos Surdos.

Quando escureceu, os surdos se preparam para caminhar até a Assembleia Legislativa para acender as velas.

Foram ao gramado da Assembleia Legistlativa onde acenderam as velas em forma de laço, representando a luta das minorias.

Equipe de Surdos do Estado de São Paulo que participaram da passeata.

Surdos da Feneis chegando para a passeata em favor do Ensino Bilíngue de Surdos.

Equipe de Líderes e da Feneis preparados para a passeata dos surdos em todo o Brasil.

Formação de fila para a passeata. Carros e ônibus pararam para o movimento.

Reunião de aproximadamente 4.000 surdos a favor do respeito a cultura surda e a exigência de Escola Bilingue para Surdos.

Os surdos reunidos no gramado da Assembleia Legislativa onde se reuniram para a manifestação.

Coordenador Prof. Neivaldo Zovico foi entrevistado por jornalistas e documentaristas, foto tirada pelo fotografo do Jornal do Brasil.

A Presidente da Feneis, Karin Stroebel pronuncia o discurso sobre os nossos direitos linguisticos e a necessidade de manutenção de Escolas Bilingues para Surdos.

Surdos palhaços que fizeram apresentação de teatro sobre O sofrimento dos surdos na Escola Inclusiva desrespeito por sua propria lingua de sinais.

As garotas surdas que dançaram em lingua de sinais sobre a Importancia da Escola Bilingue para Surdos.

Foto com Elke Maravilha que participou do movimento com os surdos e com a Presidente da Feneis Karin Strobel e Diretora Administrativa Nacional da Feneis, Shirley Vilhalva.

Durante a audiência na Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, onde o coordenador Prof. Neivaldo fez explicações sobre o que aconteceu no CONAE.

Durante a audiencia da CONADE, Patricia Rezende – Diretora de Politicas Educacionais da Feneis faz o discurso a respeito sobre os direitos linguisticos dos Surdos e a Escola Bilingue para Surdos.

O grupo de surdos assistiram a interpretação da Lingua de Sinais, a Interprete Simone e com a legenda no fundo do Telão.

Faltava pouco tempo para o encerramento, finalmente o coordenador Prof. Neivaldo chegou da Procuradoria Federal de Direitos do Cidadão para explicar o que houve no CONAE que foram discriminados e humilhados durante a votação das propostas para a Educação para Surdos.

Terminada a audiência, os surdos comemoraram conquistas durante dois dias.

O ator Surdo Nelson Pimenta mostra o prato onde foram reunir na pizzaria para a comemoração de 4.000 pessoas durante na passeata.

Coord. Prof. Neivaldo explica sobre o que é CONADE e CONAE que os sinais são diferentes e também agradeceu a todos pelo comparecimento na luta dos direitos dos surdos mostrando a importância de manterem o foco no PNE para conquista de nossos direitos.